Críticas


VOLVER

De: PEDRO ALMODOVAR
Com: PENELOPE CRUZ, CARMEN MAURA, LOLA DUEÑAS
10.11.2006
Por Marcelo Janot
RETORNO ÀS ORIGENS

Eleito o melhor filme do ano pela Federação Internacional de Críticos (FIPRESCI), Volver, como o título anuncia, significa a volta de Pedro Almodóvar a uma série de elementos que marcaram sua cinematografia, depois de um rápido flerte com a estética noir em Má Educação. No universo predominantemente feminino que ele conhece como poucos, carregado em tom vermelho sangue, estão lá os elementos cômicos absurdos de seus primeiros filmes, combinados com a sensibilidade melodramática das obras-primas Tudo Sobre Minha Mãe e Fale Com Ela.



Também é a volta de Almodóvar à sua cidade natal, a mesma La Mancha de Don Quixote, de onde ele saiu ainda garoto, mas que deixou na lembrança a maneira peculiar com que seus parentes e vizinhos lidavam com a morte. Esse lugar, onde os mortos permanecem vivos não só na memória como no cotidiano dos moradores, em gestos um tanto peculiares, é o cenário perfeito para o cineasta que fez, da dificuldade de aceitação da morte, seu tema preferido nos últimos anos.



Almodóvar ressuscita uma de suas musas, Carmen Maura (com quem não trabalhava há 17 anos), para fazê-la brilhar no papel de Irene, a morta-viva que é reconhecível pelo odor da flatulência e se finge de cabeleireira russa. Penelope Cruz, em referência direta à Anna Magnani de “Belíssima”, de Visconti, com direito a enchimento nos quadris, faz da Raimunda espanhola a personificação da mulher forte e encantadora, passional e de coração frágil, capaz de se livrar do cadáver do marido com o mesmo encanto com que entoa um tango de Gardel.



Em vários momentos, a trama de Volver pode parecer absurda, surreal até. Há mistério, humor, lágrimas. É Almodóvar tirando proveito de suas obsessões, passeando por gêneros distintos, da forma mais naturalista do mundo. Coisa de quem sabe, e muito.



# VOLVER

ESPANHA, 2006

Direção e Roteiro: PEDRO ALMODOVAR

Produção: ESTHER GARCÍA

Fotografia: JOSÉ LUIS ALCAINE

Edição: JOSÉ SALCEDO

Música: ALBERTO IGLESIAS

Elenco: PENELOPE CRUZ, CARMEN MAURA, LOLA DUEÑAS, BLANCA PORTILLO, YOHANA COBO, CHUS LAMPREAVE

Duração: 121 min.



LEIA A CRÍTICA DE LUIZ FERNANDO GALLEGO

Voltar
Compartilhe
Deixe seu comentário