Especiais


ELVIS NÃO MORREU

11.07.2003
Por Fernando Albagli
ELVIS NÃO MORREU

O Canal Telecine Happy vai comemorar o Dia Mundial do Rock (domingo, 13 de julho) iniciando uma pequena mostra (sete filmes) estrelada pelo Rei do Rock´n´Roll. Elvis Presley nunca teve, no cinema, o mesmo sucesso que nos discos ou nas apresentações em shows, em turnês ou em suas aparições na televisão. As músicas compostas para esses filmes também não podem ser comparadas com seus maiores hits. De qualquer forma, para os fãs incondicionais (inclusive para aqueles que ainda afirmam que "Elvis não morreu"), sete filmes com Elvis Presley são... sete filmes com Elvis Presley, ora!



Elvis Aron Presley foi o sobrevivente de uma dupla de gêmeos nascida em 8 de janeiro de 1935, em Tupelo, Mississipi. O irmão, que se chamaria Jesse Garon Presley, morreu no parto, e Elvis nasceu 35 minutos depois dele. A família se mudou para Memphis quando ele tinha 13 anos. Ali, Elvis foi lanterninha de cinema e chofer de caminhão, antes de iniciar uma das mais fenomenais carreiras do show business.



Depois de se apresentar como The Hillbilly Cat (O Gato Matuto) e lançar alguns singles em 78 rotações por uma pequena gravadora local, assinou, finalmente, seu primeiro contrato importante com a RCA, em 1955. O sucesso foi instantâneo nas rádios e salas de shows. Elvis levava o suingue negro dos blues para o meio dos adolescentes brancos. Rapazes e moças vibravam histericamente, quando o Rei do Rock rodopiava sensualmenmte os quadris, o que lhe deu o apelido de Elvis the Pelvis, mas também fez os câmeras serem proibidos de filmá-lo da cintura para baixo.



Em 1956, Elvis participou de seu primeiro filme – Ama-me com Ternura (Love Me Tender) -- um western musical em preto-e-branco, dirigido por Robert D. Webb, em que seu nome não aparecia em primeiro lugar nos créditos. O protagonista era Richard Egan e a mocinha a linda Debra Paget. No ano seguinte, mais dois filmes – O Prisioneiro do Rock (Jailhouse Rock), A Mulher que Eu Amo (Loving You), respectivamente dirigidos por Richard Thorpe e Hal Kanter.



Balada Sangrenta (King Creole), de Michael Curtiz, com Carolyn Jones e Walter Matthau, foi o filme de 1958, considerado por muitos o seu melhor. De 1960 a 1969, Elvis estrelou mais 27 filmes.

Em 1960: Saudades de um Pracinha (G.I.Blues), Estrela de Fogo (Flaming Star).

Em 1961: Coração Rebelde (Wild in the Country), Feitiço Havaiano (Blue Hawaii).

Em 1962: Talhado para Campeão (Kid Galahad), Garotas e Mais Garotas (Girls, Girls, Girls), Em Cada Sonho um Amor (Follow That Dream).

Em 1963: O Seresteiro de Acapulco (Fun in Acapulco), Louras, Morenas e Ruivas (It Happened at the World´s Fair).

Em 1964: Amor a Toda Velocidade (Viva Las Vegas), Carrossel de Emoções (Roustabout), Com Caipira Não se Brinca (Kissin´ Cousins).

Em 1965: Louco por Garotas (Girl Happy), Cavaleiro Romântico (Tickle Me), Feriado no Harém (Harum Scarum).

Em 1966: Entre a Loura e a Morena (Frankie and Johnnie), No Paraíso do Havaí (Paradise, Hawaiian Style), Minhas Três Noivas (Spinout).

Em 1967: Meu Tesouro é Você (Easy Come, Easy Go), Canções e Confusões (Double Trouble), O Barco do Amor (Clambake).

Em 1968: O Bacana do Volante (Speedway), Viva um Pouquinho, Ame um Pouquinho (Live a Little, Love a Little), Joe é Muito Vivo (Stay Away, Joe).

Em 1969: Charro! (Charro!), Ele e as Três Noviças (Change of Habit), Lindas Encrencas com as Garotas (The Trouble with Girls).

E ainda dois documentários: Elvis é Assim (Elvis: That´s the Way It Is) e Elvis on Tour.



NÚMEROS, CURIOSIDADES E… ABOBRINHAS



-Elvis foi casado com Priscilla Presley de maio de 1967 a outubro de 1973.

-Ganhou três Grammys, todos por sua músicas Gospel.

-Ele era originalmente louro.

-Foi chamado para um papel (interpretado afinal por Kris Kristofferson) em Nasce uma Estrela, com Barbra Streisand. Seu empresário recusou porque ele não seria o primeiro nome nos créditos e porque o produtor Jon Peters era um nome desconhecido. Com certeza, o papel teria dado impulso à sua carreira em decadência.

-Ele tinha um chimpanzé de estimação chamado Scatter.

-É o artista com maior número de discos de platina. Doze de seus álbuns venderam mais de 2 milhões de exemplares.

-É pai de Lisa Marie Presley, nascida em 1º de fevereiro de 1968.

-Sua autópsia detectou dez tipos diferentes de drogas na corrente sangüínea.

-Esteve 18 vezes em primeiro lugar entre os mais vendidos da Billboard. A primeira com Heartbreak Hotel, em março de 1956, a última com Suspicious Minds, em setembro de 1969.

-Vendeu cerca de um bilhão de álbuns, mais do que qualquer outro artista ou grupo, inclusive os Beatles.

-Quando os Beatles chegaram à América, em 1965, Elvis era a pessoa que eles mais queriam conhecer, o que aconteceu em 27 de agosto daquele ano.

-Onze dias depois de ser enterrado na cripta da família, em Memphis, tentaram roubar seu corpo. A tentativa falhou.

-Desde a época que se conheceram até sua morte, Elvis mandava centenas de flores para Ann-Margret, sempre que ela estreava um show.

-Ganhou a primeira guitarra da mãe, quando tinha 12 anos.

-Depois de vê-lo num show, Liberace sugeriu que ele usasse roupas brilhantes no palco. Ele aceitou o conselho, como se pode ver em suas apresentações.

-Sua equipe pessoal era conhecida com a Máfia de Memphis. Todos usavam um anel de ouro e diamantes, dado por Elvis, que foi enterrado com um deles.

-Quando deu baixa do exército, em 1960, Elvis pesava cerca de 85 quilos. Na época de sua morte chegou aos 130.



OS FILMES DA MOSTRA



Domingo, 13/7 - Saudades de um Pracinha (G.I. Blues),1960. Direção de Norman Taurog. Tulsa (Presley) serve o exército numa base americana na Alemanha. Adora cantar e sonha dirigir seu próprio nightclub, quando der baixa. Ele aposta com um colega que vai passar uma noite com a dançarina Lili (Juliet Prowse), conhecida por ser uma "garota difícil". Mas aí o amor entra em cena.

Presley interpreta: "What´s She Really Like", "Tonight Is So Right For Love", "G.I. Blues", "Doin´ the Best I Can", "Blue Suede Shoes", "Frankfort Special", "Big Boots", "Didja Ever", "Shoppin´ Around", "Wooden Heart", "Pocketful of Rainbows".



Segunda, 14/7 - Feitiço Havaiano (Blue Hawaii),1961. Direção de Norman Taurog. Chad Gates (Presley) acaba de dar baixa do exército e está de volta ao Havaí, com sua prancha de surf, seus amigos de praia e sua namorada (Joan Blackman). Seu pai quer que ele comece a trabalhar na Companhia de Frutas Havaiana, mas ele acha que isso não é a dele. Decide, então, ser guia turístico, na agência da namorada. Estão no elenco: Angela Lansbury e Nancy Walters.

Presley interpreta: "Blue Hawaii", "Almost Always True", "Aloha Oe", "No More", "Can´t Help Falling in Love", "Ku-u-i-Po", "Rock-a-Hula Baby", "Moonlight Swim", "Ito Eats", "Slicin´ Sand", "Hawaiian Sunset", "Beach Boy Blues", "Island of Love (Kauai)", "Hawaiian Wedding Song".



Terça, 15/7 - Talhado para Campeão (Kid Galahad), 1962. Direção de Phil Karlson. Walter Gulick (Presley) é um sério aspirante a campeão de boxe, atrapalhado por um treinador que tem ligações com a Máfia. No elenco: Gig Young, Lola Albright, Joan Blackman, Charles Bronson.

Presley interpreta: "King of the Whole Wild World", "This Is Living", "Riding the Rainbow", "Home Is Where the Heart Is", "A Whistling Tune", "I Got Lucky".



Quarta, 16/7 - Em Cada Sonho um Amor (Follow That Dream),1962. Direção de Gordon Douglas. O carro da família Kwimper – Pop (Arthur O´Connell), Toby (Presley), e os "adotados" Holly, Ariadne e os gêmeos – fica sem combustível, numa estrada nova da Flórida. Eles decidem se estabelecer por ali mesmo e as coisas parecem ir bem, até que a turma do cassino resolve interferir.

Presley interpreta: "What a Wonderful Life", "I´m Not the Marrying Kind", "Sound Advice", "Follow That Dream", "Angel".



Quinta, 17/7 - O Seresteiro de Acapulco (Fun in Acapulco),1963. Direção de Richard Thorpe. Mike (Presley) trabalho num barco, em Acapulco. Quando a filha do proprietário o despede, ele sai atrás de um novo emprego. É Raoul (Larry Domasin) que o ajuda a arranjar um de guarda-vidas e cantor, num hotel local. Isso irrita um rival, que é campeão de mergulho, no México. Além de disputar parte de seu trabalho, Mike também leva a melhor com as mulheres. No elenco: Ursula Andress, Elsa Cárdenas, Paul Lukas.

Presley interpreta "Fun in Acapulco", "Vino, Dinero y Amor", "México", "The Bullfighter Was a Lady", "I Think I´m Gonna Like It Here", "El Toro", "Marguerita", "(There´s) No Room to Rhumba in a Sports Car", "Bossa Nova Baby", "You Can´t Say No in Acapulco", "Guadalajara".



Sexta, 18/7 - No Paraíso do Havaí (Paradise, Hawaiin Style),1966. Direção de Michael D. Moore. Rick Richards (Presley) é piloto de helicóptero e sócio de Danny Kohana (James Shigeta) numa firma de aviação, no Havaí. Ele se apaixona por Judy (Suzanna Leigh), mas quem rouba a cena, sempre que aparece, é a menina Donna Butterworth, de 10 anos, que faz a filha de Shigeta.

Presley interpreta: "Queenie Wahine´s Papaya", "Datin´", "This Is My Heaven", "Stop Where You Are", e outras.



Sábado, 19/7 - O Barco do Amor (Clambake),1967. Direção de Arthur H. Nadel. Herdeiro de uma fortuna em poços de petróleo, Presley troca de lugar com um instrutor de esqui, num hotel da Flórida, para testar se as garotas se interessam por ele e não pelo dinheiro da família. Com Shelley Fabares, Will Hutchins, Bill Bixby e Gary Merrill.

Presley interpreta: "Clambake", "Who Needs Money", "The Girl I Never Loved", "Confidence", "A House That Has Everything", "Hey, Hey, Hey", "You Don´t Know Me".

Voltar
Compartilhe
Deixe seu comentário