Críticas


21 GRAMAS

De: ALEJANDRO GONZALES IÑARRITU
Com: NAOMI WATTS, SEAN PENN, BENICIO DEL TORO
26.01.2004
Por Carlos Brandão
TALENTO CONFIRMADO

21 Gramas, um mosaico de histórias cruzadas em fragmentos dispersos, é um ótimo filme e vem ratificar o talento demonstrado pelo diretor mexicano Alejandro Gonzáles Iñárritu na sua obra de estréia. Lembrando o celebrado Amores Brutos, três tramas se cruzam após um fato trágico envolvendo um acidente de carro. Paul (Sean Penn) é um jovem professor de matemática cardíaco , vivendo na angústia da espera de um doador que lhe dê uma nova esperança de vida : essa espera vai terminar quando Jack (Benício Del Toro), um criminoso regenerado, atropela e mata um homem e suas duas filhas. O outro personagem é Christine (Naomi Watts), a mulher que perde toda a família no acidente.



A partir da cena central do atropelamento, o espectador é levado a acompanhar a vida em torvelinho dessas criaturas envolvidas num drama humano onde predominam a culpa, o ódio e o sofrimento. O diretor , em nenhum momento, procura aliviar a carga dramática da história que está contando. Ao lado do drama dos personagens, são colocadas suas histórias de vida que evidenciam a condição de ex-drogada de Christine e o fanatismo de Jack, um convertido à religião evangélica que a tudo atribui à providência divina, inclusive o fato de não ter conseguido evitar o atropelamento. A história não é linear e se apresenta de forma desalinhada , mesclando passado, presente e futuro. Mas todas as cenas são importantes e no final tudo se encaixa e forma uma arquitetura que desabaria na falta de qualquer uma delas.



Numa narrativa densa e pesada , o filme não poupa o espectador que se vê envolvido na crueza e no trágico da trama, o que já começa a se anunciar pelo título do filme - 21 Gramas é o peso que um corpo humano perde na hora da morte. O diretor acertou na escolha do elenco e de seus parceiros habituais , o roteirista Guillermo Arriaga e o diretor de fotografia Rodrigo Prieto: Arriaga conta que levou três anos escrevendo o roteiro e acrescenta que a estrutura não poderia ter sido outra: “cada história tem sua própria maneira de ser contada”, diz ele, citando uma frase de William Faulkner, o grande escritor americano, ganhador do Prêmio Nobel, em 1949. O bom desempenho dos atores é outro ponto alto do filme, com destaque para Sean Penn – numa interpretação convincente e impressionante que lhe rendeu o prêmio de melhor ator em Veneza/03 – e Naomi Watts, no seu melhor papel desde Cidade dos Sonhos, de David Lynch Iñarritu marca mais um tento em sua ainda iniciante carreira, mas que já prenuncia uma continuidade promissora. 21 Gramas é um filme que veio para ficar e certamente vai entrar para o rol como um dos melhores títulos ultimamente realizados no ascendente cinema mexicano.

Voltar
Compartilhe
Deixe seu comentário