Críticas


FESTIVAL DO RIO 2005: O GOSTO DO CHÁ

De: KATSUHITO ISHII
Com: MAYA BANNO, TAKAHIRO SATO, TADANOBU ASANO
22.09.2005
Por Carlos Alberto Mattos
O TREM NA CABEÇA

Se o mestre Yasujiro Ozu experimentasse um chá alucinógeno, talvez fizesse um filme como O Gosto do Chá. Tal como o título, o pano de fundo guarda semelhanças com o universo ozuano: uma família no sossegado campo japonês, as relações ocasionais com o mundo da cidade, um punhado de desejos camuflados no encanto da rotina. Mas as similitudes não vão muito além disso. O diretor Katsuhito Ishii, de 39 anos, vai identificar-se mais com um nonsense tipicamente japonês – de poucos diálogos, linha narrativa tênue e um humor que freqüentemente desemboca no lirismo.



A família Haruno, é preciso dizer, tanto poderia ter saído de um filme do Ozu quanto de uma comédia surrealista de Wes Anderson. A harmonia entre seus membros nasce não da interação freqüente, mas da liberdade com que cada um vive seu autismo. A mãe não faz outra coisa senão desenhar animes. O avô ensaia fragmentos coreográficos quando não está encerrado num quarto misterioso. O pai faz terapias hipnóticas. O menino sublima a tesão em extenuantes corridas de bicicleta. A menina tenta se desvencilhar de um alterego que toma a forma de uma gêmea gigante. A esses, outros personagens se juntarão numa fábula tão errática quanto fascinante, de suave excentricidade, que tem tudo para ser um dos cults do festival.



Tentação irresistível para psicanalistas, talvez o filme tenha chaves de compreensão ligadas a fantasias paranóicas infantis. Mas desconfio que o melhor é simplesmente embarcar na sua viagem poética, seguindo o trem que atravessa a cabeça de Hajime logo na primeira seqüência. A partir daí, são 143 minutos quase ininterruptos de frescor, originalidade e uma beleza quase sobrenatural.





# O GOSTO DO CHÁ (CHA NO AJI)

Japão, 2004

Direção e roteiro: KATSUHITO ISHII

Elenco: MAYA BANNO, TAKAHIRO SATO, TADANOBU ASANO, SATOMI TEZUKA, TATSUYA GASHUIN

Duração: 143 minutos

Voltar
Compartilhe
Deixe seu comentário